O idoso em nossa sociedade: privilegiado ou desvalorizado?

O que tem se falado muito atualmente é sobre a importância dos cuidados e bem-estar do idoso em nossa sociedade que aumentam mais a cada ano diante da população brasileira. Nas comunidades do Japão e da Índia, os idosos possuem respeito e são considerados as pessoas mais importantes da família. Já em nosso país, não é bem assim que acontece, pois aqui temos até um “Estatuto do Idoso”, uma lei que serve para lembrar que devemos respeito aos direitos deles. E se precisamos de lei para entender que o idoso em nossa sociedade têm seus direitos e devemos tratá-los com respeito e carinho, já é uma indicação de que tem muita coisa errada.

 

Em contra partida a desvalorização do idoso em nossa sociedade, encontramos os privilégios que são dados a “terceira idade”, um exemplo são as ausências de filas, meias-entradas, empréstimos especiais, isenções de passagens, enfim são privilégios que, muitas vezes, não são tão bem-vistos por pessoas que ainda não chegaram na velhice. Mas se for analisar bem a situação, não seria privilégio algum tudo isso, pois há idoso em nossa sociedade que nem levanta da cama por passar por tantos maus tratos e os que se beneficiam estão recebendo o que tem por direito e não por ser um privilégio.

 

Situações que enfrenta o idoso em nossa sociedade

 

Não tem como contestar que o desrespeito com o idoso em nossa sociedade é muito maior do que o respeito. As vezes, por um simples fato do idoso ter alguma debilidade, mental ou física, já causa irritabilidade nas pessoas em sua volta. E para os mais incompreensíveis e intolerantes, isto é perfeito para se iniciar uma discussão, chegando até a violência física, pois sabem que ele não terá como se defender. Devido a correria do dia a dia as pessoas estão bem mais nervosas, estressadas, intolerantes e não querer ter tanto trabalho quando chegam em casa. A desvalorização do idoso em nossa sociedade é notada nesta hora também, a falta de paciência em cuidar daquele que já cuidou um dia dos filhos, dos netos, do irmão, seja de quem for, e que teve paciência nas horas mais difíceis e passou a metade da vida deixando tudo certo para que hoje você estivesse aqui, feliz e forte para cuidar dele.

 

Tudo bem os idosos não tem mais o espírito jovem de antes, eles tentam acompanhar a evolução da atualidade, mas para eles já não é tudo tão simples. Alguns ainda conseguem sair sozinhos, aproveitar um cinema, fazer uma visita qualquer, ir em um restaurante, pegar um ônibus ou um táxi e aproveitar o “privilégio” que lhes é oferecido. E aquele idoso em nossa sociedade que não consegue sair de casa? E aquele idoso que vive em uma cadeira de rodas e tem que enfrentar ruas terríveis para chegar em algum lugar? Tudo bem, não é somente o idoso em nossa sociedade que enfrenta essas situações, mas provavelmente é o idoso que sofrerá mais as consequências de não ter uma companhia. Eles são mais sensíveis, mais fracos, possuem uma mente mais atrasada e lentidão ao agir. Enquanto outros que estão na mesma situação e são mais jovens conseguem se virar muito melhor que os idosos.

 

O ciclo da vida é assim, quando somos crianças somos menos ágeis, precisamos de cuidados especiais e temos muito mais privilégios, agora quando chegamos na velhice isto volta a acontecer. Por isso, o idoso em nossa sociedade tem que ter mais privilégios sim, pois é obrigação da sociedade manter a segurança dos idosos. Eles são aqueles que tem a experiência de vida e ajuda sempre quem pede auxílio, por isso toda proteção e carinho é de extrema importância para a saúde mental do idoso. Infelizmente, o idoso em nossa sociedade é desvalorizado e maltratado, verbalmente e fisicamente, neste mundo onde algumas pessoas ainda se dizem “ricas e boas”, mas a verdadeira riqueza vem no ajudar o seu semelhante, seja idoso ou não, e ser, sobretudo, fraterno e amável para com todos.